fechar

Fundos

Breve História

O Arquivo Histórico de São Tomé e Príncipe, foi criado, com sede em São Tomé, pelo decreto nº1 49047, de 7 de Junho de 1969, após estudos preliminares efectuados pelo historiador e professor Padre Doutor António da Siva Rego.

A propósito da ideia que norteou a criação do Arquivo, Silva Rego, na introdução que fez ao seu Roteiro (Boletim n1 4, Arquivo Histórico, São Tomé, 1971) afirmou:

Ao chegar à Província, a 23 de Maio de 1968, encontrei, já devidamente constituído, um Grupo de Trabalho que logo entrou a funcionar. Após alguns dias de sondagens, verificou-se logo que a documentação existente em S. Tomé não atingia, pelo menos aparentemente, ano anterior a 1802. Iniciada a arrumação dos documentos, encontrou-se a possível explicação do facto. Com efeito em Agosto de 1887 nomearam-se comissões em S. Tomé e Príncipe para se inutilizarem os papéis Ajulgados incapazes e sem importância,

segundo consta de instruções passadas no Príncipe em 30 de Agosto de 1887 pelo Major João Albuquerque Cabral.

Núcleos originais do AHSTP

Inicialmente o Arquivo Histórico foi formado por 2 núcleos conforme a descrição que se segue:

  1. Núcleo de São Tomé
    1. Arquivo da Secretaria Geral do Governo com as seguintes Séries:
      • Série A (1802-1923)

        Os seus documentos compõem-se de ofícios, cartas, portarias, decretos, requerimentos, relatórios, etc, que se encontram em 567 caixas. Abarca cada caixa uma ou mais pastas e estas, por sua vez, com um ou mais maços. São correspondências recebidas da Metrópole, de várias parcelas do Ultramar Português, de estrangeiros e das diversas repartições provinciais.

      • Série B (1850-1921)

        326 livros de registos de correspondência

      • Série C (1876-1926)

        25 pastas de documentos reservados referentes a vários assuntos

    2. Arquivo da Administração Civil (1856-1925)

      499 livros de extractos de nascimento, de baptismo, de casamento e de óbitos das freguesias de S. Tomé

    3. Arquivo da Repartição e Fazenda (1884-1945)

      208 maços

  2. Núcleo do Príncipe
    1. Arquivo da Câmara Municipal (1665-1936)

      312 maços

    2. Arquivo da Administração do Concelho (1819-1920)

      137 maços

    3. Arquivo da Antiga Curadoria dos Serviçais e Colonos (1891-1916)

      7 maços

Organização actual do AHSTP

Com a ascensão à independência, muitas instituições foram extintas o que permitiu o Arquivo aumentar o seu acervo com novas incorporações de vários fundos documentais.

Com efeito, o Arquivo Histórico tornou-se uma instituição incontornável do país dado o valor do seu espólio documental.

A documentação está instalada em 9 depósitos e é constituída por documentos avulsos, códices, livros de registo, cartografia e iconografia. O AHSTP possui também uma biblioteca e uma importante colecção de fotografias em papel e alguns postais ilustrados.

Repertórios

  1. Curadoria Geral dos Serviçais e Indígenas
  2. Câmara Municipal de S. Tomé e Príncipe
  3. Vários Fundos
  4. Direcção das Obras Públicas e Urbanismo

Do repertório III destacam-se os seguintes fundos:

O AHSTP deu início, no final de 2011, com o apoio da Fundação Mário Soares, à digitalização das colecções fotográficas, postais e gravuras que fazem parte do espólio do Arquivo Histórico. Neste momento, está a ser desenvolvido o tratamento e digitalização das fichas dos trabalhadores contratados e documentos que se encontram em fase avançada de degradação.